• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Artigo

CUT convoca trabalhadores para o 16º Grito dos Excluídos nesta terça-feira (7)

Publicado: 03 Setembro, 2010 - 00h00

A direção da CUT-PE está convocando todos os trabalhadores e trabalhadoras da cidade e do campo, do setor público e privado, ativos e inativos,  para participarem do 16º Grito dos Excluídos que acontece nesta terça-feira (7), feriado da Independência, no Recife. Este ano, o Grito dos Excluídos tem tema “Onde estão os nossos direitos? Vamos às ruas para construir um projeto popular”. A concentração está marcada para às 8h, na praça Oswaldo Cruz, em frente ao Teatro Valdemar de Oliveira, no bairro da Boa Vista. Logo depois, a caminhada seguirá pela Av.Conde da Boa Vista até chegar à praça do Carmo/Centro do Recife.

O Grito dos Excluídos já completou 15 anos de existência. Vem mudando o significado do dia 07 de setembro. Este é o dia do povo nas ruas, praças e campos, expressando seus desejos, anseios e utopias. Denunciando as mazelas e anunciando valores da solidariedade e justiça. Cada vez mais o Grito é  reconhecido e compreendido nos vários setores sociais e principalmente vivido e construído pelos próprios excluídos.

Segundo o presidente da CUT-PE, Carlos Veras, a força do movimento é permanecer fiel à inspiração inicial, isto é, ouvir a voz dos excluídos e dos esquecidos,  trazer à luz as realidades sofridas do povo, aquelas que a escrita não consegue considerar e transmitir. “ O Grito não é um movimento e nem uma campanha. E um espaço de participação popular. Em todo o Brasil, ele é vivenciado de várias formas. São feitas romarias, atos públicos e manifestações culturais. Em  Pernambuco, realiza-se uma grande caminhada” destacou.

PLEBISCITO PELO LIMITE DA PROPRIEDADE DA TERRA - Para pressionar o Congresso Nacional a estabelecer um limite para propriedades rurais e ampliar as possibilidades de reforma agrária, movimentos sociais promovem um plebiscito popular nacional. A coleta de votos ocorre de 1º a 12 de setembro em 26 estados mais o Distrito Federal, onde há comitês em universidades, sindicatos e comunidades religiosas ligadas às 50 entidades engajadas na mobilização. A intenção é saber quem concorda ou não com o agronegócio e com os latifúndios. A CUT-PE também está participando do plebiscito, com uma urna instalada em sua sede – Rua Dom Manoel Pereira, 184 – Santo Amaro/Recife.

A Campanha Nacional pelo Limite da Propriedade de Terra defende que se estabeleçam limites distintos para cada região do país, de 30 a 70 hectares (ver quadro abaixo). Isso porque, o teto definido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) é de 35 módulos fiscais, que variam de acordo com cada unidade da federação. Se a mudança for efetivada, 3,6 mil propriedades rurais seriam afetadas, segundo dados do Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR).

VOTAÇÃO - As urnas foram colocadas em comitês regionais, sindicatos, comunidades religiosas, entre outros locais. Também serão coletadas assinaturas por meio de um abaixo-assinado na internet. Para votar, o participante preenche uma cédula em que opina se é favorável ou não a se estabelecer limite máximo ao tamanho das propriedades rurais.

Após o plebiscito, está previsto o envio de proposta de emenda constitucional junto das assinaturas para o Congresso. Até o dia 12 de setembro, urnas espalhadas em locais públicos como igrejas, escolas, universidades e entidades dos  movimentos sindical e social estarão colhendo os votos da população.

*Por Chico Carlos/Assessoria de Imprensa da CUT-PE