• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Donos dos jornais dão prazo de 30 dias para a extinção dos direitos

JCPM - João Carlos Paes Mendonça, Rands e Monteiro põem a “faca no pescoço” de todos os gráficos

Publicado: 04 Outubro, 2018 - 16h25

Escrito por: Sindgraf-PE

Sindgraf-PE
notice

Apesar da véspera eleitoral onde dois candidatos ao Governo de PE (Armando Monteiro e Maurício Rands) têm ligação direta ou familiar com dois dos três maiores jornais estaduais (Folha e Diário), e o dono do JC (João Carlos Paes Mendonça/JCPM) é empresário destacado, inclusive dono de shoppings em Pernambuco e no Nordeste, ambos os jornais deram um prazo de 30 dias para extinção de todos os direitos coletivos dos seus gráficos. O anúncio foi feito por intermediários durante a 1º mesa de negociação com o Sindicato dos Trabalhadores (Sindgraf-PE), realizada na última sexta-feira. Sequer anunciaram o reajuste salarial. E, nos próximos dias, ficaram de enviar para o Sindgraf uma lista detalhada com os direitos históricos em que os gráficos deverão aceitar perder, ou perderão tudo de todo jeito em um prazo de 30 dias, a conta da 1ª mesa.

Os patrões se utilizam da nova lei trabalhista de Temer, aprovada com o voto favorável do senador Armando, que tem na sua chapa ao governo os deputados Mendocinha e Bruno Araújo, que também aprovaram a lei.

“Já nas gráficas convencionais do estado, embora sejam empresas com menor poder político-econômico do que os jornais, seus trabalhadores mostraram logo no início da campanha salarial uma unidade em torno do sindicato e o cenário da negociação tem sido diferente e já avança. Os patrões negociam com responsabilidade. Eles sabem que precisam da produção funcionando normalmente, sem revolta dos trabalhadores ou interrupção diante da falta de valorização/respeito com quem produz os impressos da empresa e que gera a riqueza dos donos”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf. Não por acaso que já nesta quinta-feira ocorrerá assembleia decisiva dos gráficos do segmento para avaliarem a contraproposta do patronal, podendo até findar a campanha salarial.

 

“Nos jornais, por sua vez, os representantes de JCPM, Alexandre Rands (irmão do candidato a governador Maurício) e Eduardo Monteiro (irmão do candidato a governador Armando) começaram a negociação salarial sem essa mesma responsabilidade com quem produz as suas riquezas e que garantem os prestígios sociais, econômicos e políticos por meio dos jornais impressos”, diz Iraquitan. Alerta que não é pondo a “faca no pescoço” do gráfico para que ele decida o que deve perder parcialmente ou a perda completa que esses jornais ganharão o respeito de alguém. Iraquitan acha importante que repensem tal postura, pois a revolta pode tomar conta da classe, que, por sinal, laboram de domingo a domingo, deixando as suas famílias para ampliarem a riqueza alheia dos patrões.

 

Todavia, os intermediários dos donos do JC, Diário e Folha ficaram de enviar durante esta semana uma lista para o Sindgraf-PE, batizada por Iraquitan de a lista “faca no pescoço” dos gráficos dos jornais, pois obriga os seus trabalhadores a terem de escolher em até 30 dias quais serão os direitos históricos que preferirão perder. Iraquitan, por sua vez, lembra aos gráficos que isso não precisa ocorrer. Tudo só depende de quem produz. Portanto, tudo dependerá de você, gráfico! Vamos à luta!!!

carregando
carregando