• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ex-presidenta da Caixa debate Ataques aos Bancos Públicos no Sindicato nesta qua

O evento é aberto ao público e integra a programação da Posse dos (as) Delegados (as) Sindicais, que segue até o sábado (8). A ex-presidenta da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, é uma das convidad

Publicado: 07 Agosto, 2019 - 10h52 | Última modificação: 07 Agosto, 2019 - 10h58

Escrito por: SEEC-PE

SEEC-PE
notice

Nesta quarta-feira (7), às 19h, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco realiza o Seminário: Conjuntura Política e os Ataques aos Bancos Públicos. O evento é aberto ao público e integra a programação da Posse dos (as) Delegados (as) Sindicais, que segue até o sábado (8). A ex-presidenta da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, é uma das convidadas da noite.

 

O Seminário também recebe as contribuições da presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues; da presidenta da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste de Brasil (FBNB), Rita Josina; e da secretária da Juventude da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e membro da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Banco do Brasil, Fernanda Lopes.

 

“Esta é uma ótima oportunidade para as bancárias e os bancários, entidades sindicais e movimentos sociais, aprofundarem o debate sobre a importância dos bancos públicos para o desenvolvimento do País e se atualizarem sobre o processo de desmonte que o governo está promovendo contra essas estatais. A partir dessa reflexão, a luta em defesa dos bancos públicos e da soberania do Brasil deverá ser reforçada”, destaca Suzineide Rodrigues.

 

Além de serem responsáveis por investimentos em áreas como habitação, saúde, educação, agricultura familiar e infraestrutura, os bancos públicos são lucrativos. Entretanto, o governo Bolsonaro tem tomado medidas que enfraquecem essas instituições financeiras públicas, como por exemplo, o esvaziamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a reestruturação do Banco do Brasil.

 

“Só em 2019, o governo já vendeu mais de R$ 16 bilhões em ativos dos bancos públicos. Desta forma, o tamanho do banco e sua capacidade de investimento reduz, comprometendo sua função social. É hora de todas e todos estarmos unidos em defesa do nosso patrimônio”, conclui a secretária de Bancos Públicos do Sindicato, Cândida Fernandes.