• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Fábrica da Jeep amplia produção em 12,8% em 2018

Número de carros produzidos em Pernambuco saltou de 179 mil para 202 mil devido à alta das vendas e à implantação do terceiro turno produtivo

Publicado: 10 Janeiro, 2019 - 13h06

Escrito por: Marina Barbosa/Folhape

Peu Ricardo/Arquivo Folha
notice

As vendas de veículos cresceram 14,6% em 2018, alcançando a marca de 2,56 milhões de licenciamentos. E isso impulsionou os resultados da indústria automotiva. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), 2,89 milhões de carros foram produzidos no Brasil no ano passado - 6,7% a mais que no ano anterior. E essa alta foi ainda maior em Pernambuco: a Fábrica da Jeep de Goiana ampliou sua produção em 12,8%, passando das 200 mil unidades em 2018, e projeta novo crescimento para este ano, o que pode gerar novos empregos no Estado

Segundo a Fiat Chrysler Automobiles (FCA), o aumento das vendas e a implantação do terceiro turno produtivo permitiram elevar de 179 mil para 202 mil a produção anual da fábrica pernambucana em 2018. A produção foi dividida quase que igualmente entre os três modelos produzidos em Goiana (Renegade, Compass e Toro) e deve subir mais em 2019, se aproximando da capacidade produtiva da fábrica, de 250 mil veículos/ano. Afinal, o terceiro turno começou a operar apenas em março de 2018 e agora vai funcionar durante todo o ano. Além disso, o setor espera continuar tendo boas vendas em 2019. 

“O resultado da indústria automobilística brasileira mostrou que 2018 consolidou a retomada iniciada em 2017”, argumentou o presidente da Anfavea, Antonio Megale, creditando essa melhora ao mercado interno, que teve uma “forte reação”. Ele espera, então, vender 2,86 milhões de carros em 2019 - 11,4% a mais que em 2018. “A conjuntura macroeconômica indica fatos positivos, como aumento do PIB, inflação diminuindo e queda do dólar”, justificou Megale, que também cita o aumento do crédito e a possibilidade das reformas como elementos que impulsionam a confiança do consumidor. E a Jeep confirma que, se todos esses indicadores se confirmarem, o movimento na fábrica de Goiana deve crescer, elevando o número de empregos.

Exportações

 

No mercado externo, porém, o cenário não é tão positivo. Como a Argentina é o principal parceiro do setor automotivo e está em crise, as exportações de veículos caíram 17,9% em 2018. Neste ano, a expectativa é de estabilidade, mas pelo menos o setor torce para que não haja mais a necessidade de paradas técnicas para ajustar a produção à demanda internacional. Em outubro, a Jeep parou por três dias por conta da situação da Argentina.