• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Funcionários do BB vão aderir ao Dia Nacional de Paralisação contra a reestruturação

No Recife, o ato vai atingir várias agências do BB, incluindo o CENOP, alvo principal do atual desmonte.

Publicado: 19 Janeiro, 2018 - 12h44

Escrito por: Brunno Porto

SEEC-PE
notice

Na noite desta quarta-feira (17), os funcionários do Banco do Brasil (BB) aprovaram, em Assembleia Geral realizada no Sindicato dos Bancários de Pernambuco, a adesão ao Dia Nacional de Paralisação, que ocorre nesta sexta-feira (19). A ação objetiva protestar contra a desestruturação imposta pelo banco e que vai afetar, aqui no Estado, mais de 200 funcionários, todos do Centro de Apoio aos Negócios e Operações de Logística (CENOP), que será substituído pelo Centro de Atendimento do Banco do Brasil (CABB).

A presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues, ressaltou a necessidade de permanecer na trincheira de luta. “Se o Sindicato estivesse acomodado, o pacote de crueldade contra nós bancários seria mais massacrante. Não vamos assistir tudo passar, sem enfrentar todas essas injustiças. Este Dia Nacional de Paralisação vai mostrar que a insatisfação é geral, deixando claro que vamos permanecer unidos em defesa da nossa categoria”, comentou.


Durante a assembleia também foram destacadas questões que não estão claras para os funcionários do BB. Uma delas é o critério que o banco está utilizando para realizar as promoções entre os candidatos.

O secretário de Assuntos Jurídicos, João Rufino, esclareceu quais providências vão ser tomadas diante do problema. “O jurídico do Sindicato vai levar ao conhecimento do Ministério Público a falta de critério para essas promoções. Várias queixas estão postas e precisamos entender o que está acontecendo. Sabemos, no entanto, que o banco monta a lista de concorrência, mas por mera formalidade. O que temos aos certo é que eles estão indicando quem eles querem e não pelos currículos dos participantes”, pontuou Rufino.


O Sindicato já está investigando casos em que não existiu concorrência entre os bancários, acontecendo apenas nomeações. “Essas denúncias de nomeações, sem concorrência, precisam ser investigadas. Queremos respostas claras da direção da empresa sobre todo o processo”, concluiu.


A entidade também orienta que os empregados do banco que tiverem mais de dez anos de função comissionada, independente de qual seja ou dos cargos anteriores, procurar o Sindicato antes de iniciar o processo de descomissionamento, para que o jurídico possa tomar as medidas cabíveis.

carregando
carregando