• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sindsep-PE cobra do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde as novas instalações do RH

Cerca de trezentas solicitações estão paradas no setor de Recursos Humanos

Publicado: 17 Outubro, 2017 - 17h25

Escrito por: Ascom Sindsep-PE

Cerca de trezentas solicitações de aposentadoria, abono de permanência e perícia médica encontram-se paradas no setor de Recursos Humanos do Ministério da Saúde, sem previsão de atendimento. A direção do Sindsep-PE já entrou em contato com o Núcleo Estadual do órgão para cobrar providências, mas não obteve resposta. Para somar forças, o sindicato acionou também a Condsef/Fenadsef, que vai agora cobrar uma solução para esse problema em Brasília. 

O setor de Recursos Humanos do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (NEMS-PE) funcionava no prédio da Sudene, no Engenho do Meio. Em julho passado o local foi fechado para reformas. Segundo o governo, os servidores de lá seriam transferidos para um prédio no bairro de Boa Viagem. Acontece que as novas instalações também estão passando por reformas. A previsão era que o local fosse entregue em novembro, mas no ritmo que se encontram as obras, tudo indica que não vai ser possível. 

De acordo com o diretor do Sindsep-PE e servidor do Ministério da Saúde, José Felipe Pereira, parte dos servidores do setor de Recursos Humanos do NEMS-PE está trabalhando em casa e outra parte está no prédio da Funasa, na avenida Rosa e Silva, atendendo apenas demandas emergenciais, como homologação de folha de pagamento, férias, plano de saúde e senha do Sicad. “Se existe algum culpado é o governo, que não dá estrutura para os trabalhadores do RH. Infelizmente isso já era algo previsto e o sindicato já tinha alertado”, conta o diretor.

Há alguns meses, ciente do fechamento do prédio da Sudene, a direção do Sindsep-PE enviou um ofício ao Núcleo Estadual do Ministério da Saúde. No documento, o sindicato alertou que a mudança poderia provocar acúmulo de serviço e prejudicar tantos os trabalhadores dos Recursos Humanos quanto aqueles que fizeram as solicitações. Sem obter resposta, pouco mais de um mês depois, um novo ofício foi enviado e mais uma vez o NEMS não respondeu.

carregando
carregando